A plataforma digital por uma antropologia das eleições.
O que é EleQta?
EleQta é uma plataforma que assegura o carregamento seguro e rápido de dados sobre processos eleitorais examinados no projeto de pesquisa Re-examinar as eleições após experiências africanas.
Os dados do projeto são carregados através de uma interface web acessível através dos smartphones dos membros das equipes de pesquisa; os dados inclui elementos quantitativos, bem como texto, imagens, vídeos e som. A EleQta também garante a classificação dos dados coletados de acordo com uma metodologia estabelecida, bem como a coerência dos dados que será garantida através de uma série de processos de validação cruzada. O escopo da EleQta é disponibilizar e explorar os dados eleitorais para os pesquisadores, permitindo que eles conduzam pesquisas comparativas enquanto filtram os dados através de uma série de critérios geográficos, temporais e temáticos.
O que é o projeto “Re-examinar as eleições após as experiências africanas”?

Após o fim de muitos sistemas políticos de partido único na década de 1990, o número e a frequência das eleições em todo o mundo aumentaram de forma constante. No entanto, a pesquisa sobre eleições na África Subsahariana mostrou que esse aumento raramente foi acompanhado de melhorias na imparcialidade e transparência dos processos políticos. Pelo contrário, a ausência dessas condições está prejudicando os procedimentos de votação e privando-os de sua função essencial: garantir a responsabilidade e a renovação periódica das elites políticas. Além disso, as eleições na maioria dos países da África Subsahariana estão se tornando imitações imperfeitas dos rituais democráticos ocidentais.

Para resolver de forma eficiente estes problemas, a noção de “eleição” deve ser alargada para incluir todo o procedimento de seleção e direito das elites políticas: a forma como uma eleição produz – ou reproduz – uma hierarquia política é o resultado das perceções e ações de um grande número de atores, nem todos necessariamente envolvidos na votação. O voto é um procedimento destinado a produzir um resultado numérico, que por sua vez legitimará uma hierarquia política; a votação não pode ser assimilada a toda a eleição nem ser o único objetivo de uma análise que visa explicar a atribuição de mandatos políticos.

O projeto “Re-examinar as eleições após as experiências africanas” adota uma abordagem sócio antropológica comparativa. Pretende associar análise quantitativa e qualitativa dos processos de votação com indagações qualitativas sobre como os atores envolvidos experimentam todo o processo eleitoral, desde a designação dos candidatos até as reações após os resultados. Seu objetivo é revelar a regra da representação e sua atribuição do direito de governar as elites.

As equipes de pesquisa, compostas por pesquisadores baseados nos países visados, coletam os dados e conduzem as pesquisas de campo. Essas equipes são dirigidas por estudiosos locais e são instruídas no que diz respeito à estrutura metodológica e ao uso da EleQta para carregar os dados; os membros da equipe são remunerados e equipados com dispositivos para a coleta e o carregamento de dados.

Representantes de todas as equipes participam uma vez por ano para uma série de sessões de trabalho com o objetivo de presentar os resultados das pesquisas e aperfeiçoar o quadro metodológico do projeto.

As pesquisas

Campanhas de pesquisa 2017
  • Costa do Marfim 100% 100%
  • Congo-Brazzaville 100% 100%
  • Kenya 100% 100%
  • República Democrática do Congo 100% 100%
Campanhas de pesquisa 2018
  • Camarões 100% 100%
  • República Democrática do Congo 100% 100%
  • Gabon 100% 100%
  • Madagascar 100% 100%
  • Swaziland 100% 100%
  • Togo 100% 100%
  • Zimbabwe 100% 100%
Campanhas de pesquisa 2019
  • Senegal 100% 100%
  • África do Sul 100% 100%
Campanhas de pesquisa 2020
  • Camarões 80% 80%
  • Togo 80% 80%
  • Costa do Marfim 10% 10%

Países

Missões de campo

Dossiês dos atores políticos

Entradas de dados

Notícias e publicações

As equipes

Supervisores

Pesquisadores

Como funciona EleQta?

Instituições parceiras